• Facebook - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle
  • Pinterest - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle

Siga

© 2018 by Enxoval Babies - A Enxoval Babies é uma empresa baseada em Paris especializada em consultoria de enxoval de bebê na Europa. Todo o conteudo deste site é de propriedade da Enxoval Babies

 

@enxovalbabies

PLANO DE PARTO : como ter o parto do seus sonhos

May 29, 2018

Bonjour Mamaes! 

 

 

O grande dia esta se aproximando! Você vai ser mamae. 

 

Como você esta se sentindo? Ja esta se informando sobre o parto , o pos parto? sobre a amamentaçao?

 

Você esta realmente sendo a guia da sua propria gravidez? Ou esta apenas seguindo os "conselhos" do seu médico, da sua familia e de amigos?

 

Pare alguns minutinhos para agir agora! Comece a guiar a sua propria gravidez, se informando e preparando o seu plano de parto! Seje você uma mamae de primeira, segunda ou terceira viagem! 

 

PARA CONTINUAR A SEGUIR OS POST : AQUI

 

 

O que é o plano de parto? 

 

O plano de parto é um documento que você pode preparar para os profissionais que irão acompanhá-la durante o seu parto.

 

Este plano ajuda a equipe médica a conhecê-la melhor e saber quais são suas preferências e desejos.

 

Mesmo se o seu companheiro deseja participar do desenvolvimento do plano de nascimento, tenha em mente que estamos falando  seu corpo e é você que se conhece o melhor e sera capaz  de tomar algumas decisões mais pessoais, por exemplo, em relação à gestão da dor.

 

Escrever o plano de parto é uma boa oportunidade para refletir com o seu parceiro sobre  as várias opções disponíveis  para o trabalho de parto e no período após o parto (pós-parto).

 

Este plano ajudará você a ter o controle sobre a sua gravidez, parto e pos parto. Sem ter que seguir ordens ou fazer coisas que nao sao sua escolha. 

 

Lembre-se, no entanto, que o parto é imprevisível. Seu plano de nascimento não é uma lista de exigências, mas sim uma descrição do que é importante para você e o que você gostaria que a equipe medica respeitasse dentro do possível.

 

O plano deve ser flexível e somente ser um guia para os seus desejos na hora do parto.

 

Eu achei super importante fazer este plano. Eu e meu marido estavamos preparados. E foi por isto que conseguimos fazer nosso parto sozinhos em casa ( Sim! Tive um parto de urgencia, mas isto é assunto para um outro post). 

 

 

 

 

 

Para quem e quando dar o plano de nascimento?


Discuta o seu plano de parto com o seu médico ou parteira por volta da 36ª semana de gravidez. Em seguida, coloque duas cópias do seu plano de parto na sua mala da maternidade. No dia do parto, dê um ao enfermeiro e guarde o outro no seu quarto. Se você tiver uma doula, dê também uma copia para ela. 

 

Objetivos do plano de parto

 

♥Desenvolver o conhecimento  do parto, de como funciona cada tipo de parto.

 

♥Desenvolver um conhecimento do seu corpo

 

♥Refletir sobre como queremos receber o nosso filho, como queremos que ele chegue ao mundo

 

♥Ajudar os profissionais a nos conhecer melhor

 

♥Abrir um diálogo com a equipe da maternidade

 

♥Desenvolver um sentimento de competência parental

 

♥Reduzir seus medos e ansiedades

 

♥Abrir a discussão com seu companheiro e fazer este caminho a dois, se tornar emocionalmente " pais" antes da chegada do bebê. 

 

Como escrever seu plano de parto

 

 É claro que o projeto de nascimento é, acima de tudo, a transmissão do que se deseja ou não se deseja ter no dia do parto.

 

Mas mais do que uma lista de desejos, parece interessante poder compartilhar com a equipe médica um pouco da nossa experiência e o porquê dos nossos desejos.

 

A percepção e, a resposta da equipe médica aos nossos pedidos não será a mesma, dependendo da maneira como falamos, de como iremos colocar no nosso plano de parto. 

 

Por exemplo,

Pode-se escrever: "Eu não desejo uma episiotomia".

 

Ou: "Tendo experimentado uma episiotomia que foi dolorosa por um longo tempo após o nascimento do meu primeiro filho  eu prefiro correr o risco de uma lágrima de dor ao invés de ter recurso à uma nova episiotomia " .

 

 O primeiro passo,  quando você  escreve um projeto de parto é se informar atraves dos profissionais de saúde, livros, reuniões com outros pais ....

 

 Tudo o que podemos ler ou ouvir sera valido, há, é claro, coisas com as quais não concordaremos, outras que abrirão nossos olhos.

 

É por isso que não existe um plano de parto típico, e cada casal tem que escrever o seu próprio.

 

 Os desejos expressos são específicos para cada mamae

 

Muitas vezes, os planos de nascimento são apresentados como o desejo de um parto mais natural, mas isso não é necessariamente o caso!

 

 É desejável mencionar também a sua posição no caso de um parto cesariana , como a presença do companheiro,  separação com a criança ...

 

No entanto, você pode solicitar que a fisiologia natural do parto seja respeitada e que haja a menor prática médica possível, desde que nenhum problema médico seja diagnosticado.

 

E preciso lembrar que o plano de parto é uma ferramenta de dialogo! 

Conteudo do plano de parto

 

Estas sao algumas reflexoes antes de contruir seu plano: 

 

♥Quem você quer perto de você durante a fase de trabalho de parto (por exemplo, seu parceiro, seus pais , seu medico, a enfermeira)?


♥Você gostaria que seu nascimento fosse gravado (por exemplo, usando um vídeo ou uma câmera)?

 

♥Você gostaria de usar suas próprias roupas durante a fase de trabalho?

 

♥Você deseja tomar um banho durante o parto, ter uma cadeira de parto ou uma barra de apoio? Em caso afirmativo, verifique que o local onde você dará a luz fornecerá este equipamento ou você terá que trazê-lo você mesmo?

 

♥Qual a posição que você quer tentar fazer durante a fase de trabalho (por exemplo, semi-reclinada, de quatro, pernas flexionadas)?


♥Como você administraria a dor (por exemplo, analgesia epidural, acupressão, técnicas de respiração, hipnose, massagem, terapia quente ou fria)?


♥Qual deve ser o nível de envolvimento do seu parceiro (por exemplo, assistir ao parto, cesariana ou cortar o cordão umbilical?


♥Gostaria de música e/ou fotografias?


♥O que você acha de certas intervenções médicas, como indução do trabalho de parto, aceleração do trabalho (por medicamentos), episiotomias, cesarianas, uso de fórceps, copos a vácuo, soluções intravenosas e monitoramento? fetal pela eletrônica?


♥Você quer usar suas lentes de contato durante as fases de trabalho?


♥Você prefere que o número de exames vaginais seja reduzido ao mínimo?


♥Você quer andar e se mover durante as fases de trabalho?


♥Você gostaria de comer e beber durante o trabalho?


♥Você gostaria de ver o nascimento com um espelho?


♥Você pretende doar sangue do cordão umbilical? (Em caso afirmativo, você deve tomar providências antes da entrega para ter tempo suficiente para se registrar e receber o kit de coleta - e, o mais importante, não se esqueça do dia da entrega.)


♥Você está pensando em amamentar, mamadeira ou qualquer combinação desses métodos de amamentação?


♥Você tem preferências ou necessidades religiosas ou culturais que os profissionais de saúde que irão ajudá-lo devem estar cientes?


♥Você sofre de alguma deficiência? Se sim, precisa de ajuda ou equipamento especial para ajudá-lo durante o trabalho?

 

Exemplos de planos de parto

 

Um exemplo : AQUI

 

 

Exemplo para as mamaes que querem um parto natural :

 

 

"Estamos cientes de que o parto pode tomar diferentes rumos. Abaixo listamos nossas preferências em relação ao parto e nascimento do nosso filho, caso tudo transcorra bem. Sempre que os planos não puderem ser seguidos, gostaríamos de ser previamente avisados e consultados a respeito das alternativas.


Trabalho de parto:


-  presença de meu marido e doula.
- sem tricotomia (raspagem dos pelos pubianos) e enema (lavagem intestinal).
- sem perfusão contínua de soro e ou ocitocina 
- liberdade para beber água e sucos enquanto seja tolerado. 
- liberdade para caminhar e escolher a posição que quero ficar. 
- liberdade para o uso ilimitado da banheira e/ou chuveiro. 
- monitoramento fetal: apenas se for essencial, e não contínuo. 
- analgesia: peço que não seja oferecido anestésicos ou analgésicos. Eu pedirei quando achar necessário.
- sem rompimento artificial de bolsa

Parto:


 - prefiro ficar de cócoras ou semi-sentada (costas apoiadas).
 - prefiro fazer força só durante as contrações, quando eu sentir vontade, em vez de ser guiada. Gostaria de um ambiente especialmente calmo nesta hora.
- não vou tolerar que minha barriga seja empurrada para baixo.
- episiotomia: só se for realmente necessário. Não gostaria que fosse uma intervenção de rotina.
- gostaria que as luzes fossem apagadas (penumbra) e o ar condicionado desligado na hora do nascimento. Gostaria que meu bebe nascesse em ambiente calmo e silencioso.
- gostaria de ter meu bebe colocado imediatamente no meu colo após o parto com liberdade para amamentar.
- gostaria que o pai cortasse o cordão após o mesmo ter parado de pulsar.

 Como evitar uma cesariana


Após o parto:
- aguardar a expulsão espontânea da placenta, sem manobras, tração ou massagens. Se possível ter auxílio da amamentação.
- ter o bebê comigo o tempo todo enquanto eu estiver na sala de parto, mesmo para exames e avaliação.
- liberação para o apartamento o quanto antes com o bebê junto comigo. Quero estar ao seu lado nas primeiras horas de vida.
- alta hospitalar o quanto antes.


Cuidados com o bebê:


- administração de nitrato de prata ou antibióticos oftálmicos apenas se  necessário e somente após o contato comigo nas primeiras horas de vida.
- administração de vitamina K oral (nos comprometemos em dar continuidade nas doses).
- quero fazer a amamentação sob livre demanda.
- em hipótese alguma, oferecer água glicosada, bicos ou qualquer outra coisa ao bebê.
- alojamento conjunto o tempo todo. Pedirei para levar o bebê caso esteja muito cansada ou necessite de ajuda.
- gostaria de dar o banho no meu bebê e fazer as trocas (ou eu ou meu marido).


Caso a cesárea seja necessária:


- exijo o início do trabalho de parto antes de se resolver pela cesárea.
- quero a presença da doula e de marido na sala de parto.
- anestesia: peridural, sem sedação em momento algum.
- na hora do nascimento gostaria que o campo fosse abaixado para que eu possa vê-lo nascer.
- gostaria que as luzes e ruídos fossem reduzidas e o ar condicionado desligado.
- após o nascimento, gostaria que colocassem o bebê sobre meu peito e que minhas mãos estejam livres para segura-lo.
- gostaria de permanecer com o bebe no contato pele a pele enquanto estiver na sala de cirurgia sendo costurada.
- também gostaria de amamentar o bebê e ter alojamento conjunto o quanto antes.      


Agradeço muito a equipe envolvida e a ajuda para tornar esse momento especial e tão importante para nós em um momento também feliz e tranqüilo como deve ser.

Muito obrigada,

 

 

 

OUTRO EXEMPLO BEM COMPLETO: AQUI

 

 

 A michelle Amorim do blog Vida Materna fez um plano bem completo: 

 

Plano de Parto – Michelle Amorim

  • Bebê: Melanie

  • Marido: Alexandre

  • Obstetra: Dr. Hugo

  • Maternidade Nsa. Sra. de Fátima

  • Data provável do parto: 05.08.2010 (data do nascimento 02.08.2010)

 

Estou ciente de que o parto pode tomar diferentes rumos, mas meu desejo é pelo parto normal, que é muito importante para mim. Abaixo listei as minhas preferências em relação ao nascimento da minha filha Melanie, caso tudo transcorra tranquilamente. Caso os planos não possam ser seguidos da maneira como eu gostaria, quero ser previamente avisada e consultada a respeito das alternativas.

 

 

Durante o trabalho de parto

 

• Acompanhante: Meu marido, em período integral.

(Como meu trabalho de parto acabou acontecendo em casa e eu prefiro estar sozinha quando estou com dor, disse que ele deveria ir dormir e se eu precisasse, eu o chamaria. Eu lido melhor com a dor em silêncio e concentrada). Vale lembrar que o direito a um acompanhante é lei. Toda gestante tem direito a um, desde a entrada na maternidade até o nascimento do bebê.

 

• Lavagem Intestinal: Não gostaria que esse procedimento fosse realizado.

(Se rolasse a little shit no período de expulsão, fazer o que… Não era uma coisa que me preocupava, afinal, os obstetras devem ver isso direito, eu pensava.)

• Tricotomia: Não será necessária já que estou com a depilação em dia.

(Fiz uma depilação caprichada com cera quente (e na raça) com 39 semanas. Dali cinco dias a Mel nasceu.)

 

• Liberdade para andar, me mover e mudar de posição: Gostaria de permanecer na posição que me for mais confortável e andar sempre que sentir necessidade.

(Pra mim isso tudo era muito óbvio, nem precisava estar escrito num plano de parto. Se quisessem me impor alguma coisa, era só eu não fazer, oras – eu pensava. Como eu estava em casa, pude sentar, andar, pular, virar cambalhota, enfim, deitar e rolar na hora das contrações. Considero que foi importantíssimo para mim no período de dilatação poder me mover livremente, sentar, levantar, agachar, enfim. Liberdade nessa hora é tudo pessoal.)

 

• Analgesia: Apenas se eu solicitar. Não gostaria que me ficasse sendo oferecida a todo instante.

(E eu não solicitei – pelo menos não formalmente, só na minha cabeça em meio aos xingamentos na hora da dor – até os 10cm de dilatação, afinal, eu estava em casa – vou repetir isso mais algumas vezes nesse texto ainda. Tomei a Raquianestesia doze minutos antes da Melanie sair, somente para o período expulsivo mesmo, pois estava literalmente desmaiando de dor.)

 

• Sobre o uso de Ocitocina ou qualquer medicamento para indução ou aceleração do trabalho de parto: Apenas sob REAL necessidade médica e depois de me serem apresentadas todas as alternativas.

(Não foi necessário.)

 

Foto : Michelle Amorim

 

• Rompimento forçado da bolsa: Apenas depois do início do trabalho de parto e sob real necessidade médica.

(Minha bolsa rompeu ao final da dilatação, quando durante uma contração eu acabei caindo no chão de joelhos.)

 

• Infusão intravenosa: Apenas se houver uma real indicação médica. Não gostaria de nada que atrapalhe minha mobilidade.

(Não foi necessária no trabalho de parto. Mas lembro que me colocaram um soro durante o período de expulsão – que durou tipo 1 minuto, vale lembrar…)

 

• Monitoramento Fetal Eletrônico: Apenas se houver real indicação médica. Idem acima.

(Não houve monitoramento de nenhuma espécie, já que eu estava em casa.)

 

• Exame de Toque: Não gostaria que fosse realizado com frequência, pois acho muito desconfortável.

(Foram feitos dois exames de toque num período de 5 horas e nos dois eu estava com 2cm de dilatação. Depois não mais, já que quando cheguei na maternidade a dilatação era total e a Melanie estava ali, pronta para sair.)

 

• Quero poder tomar água ou comer durante o trabalho de parto, caso eu sinta necessidade.

(Duvido que na maternidade eles tivessem me deixado comer ou beber! No início do trabalho de parto eu tomei sopa. E tomei muita água, claro. Como eu estava em casa, pude fazer isso. Depois eu vomitei… só pra constar.)

 

• Uso da água no trabalho de parto: Se eu sentir necessidade, quero ter liberdade para usar o chuveiro e/ou banheira, se disponível.

(Usei o chuveiro de casa, sentada num banquinho, no início e no final do trabalho de parto. No apto onde morávamos não tinha banheira, o que teria sido bem legal para aguentar as dores.)

 

• Objetos pessoais no quarto: …

(Eu bem que gostaria de um CD especial, flores, algo que deixasse tudo mais aconchegante. Mas obviamente não deu tempo de levar nada, tamanha a correria que foi meu parto. Sobre usar a roupinha azul da maternidade, não tive nenhum problema com isso. Hoje eu já não sei… mas não é uma coisa de suma importância pra mim.)

Durante o parto em si

 

• Presença do meu marido e meu obstetra.

(Não gostei de não terem deixado meu marido ao meu lado enquanto eles me colocavam na mesa no centro cirúrgico, mas é uma prática comum em hospitais e maternidades. Não entendo o por que dessa separação. Só o deixaram entrar quando eu já estava a postos, pronta para empurrar. Na sala, estavam eu e meu marido, meu obstetra, o anestesista e uma enfermeira.)

 

• Posição no período de expulsão: Aquela que me for mais confortável. Não gostaria de ficar totalmente deitada já que isso não favorece o período de dilatação e muito menos o de expulsão.

(Na real: fiquei na posição que me colocaram (deitada), urrando de dor, já que eu não sabia mais quem eu era naquela altura do campeonato… Como eu já estava com total dilatação e a Melanie já coroando, como dizem, pra mim não fez diferença estar deitada.)

 

• Não quero que minha barriga seja empurrada e qualquer manobra que seja necessária, sob real necessidade médica, deverá ser informada antes. Também não quero que meu bebê seja puxado. Iremos aguardar o tempo dela.

(Não houve necessidade de nada assim)

 

• Episiotomia: Se for realmente necessária, conforme conversamos eu e meu obstetra, estou de acordo. Com anestesia local.

(Ela foi feita e levei 3 pontos. Acho que a maioria dos obstetras sempre irá dizer que ela é necessária, por medo de ter que lidar com uma laceração, mas sabemos que necessária ela não é não. Porém ter feito a episiotomia não é uma coisa que me incomoda, nem lá no dia do parto nem hoje. A cicatriz existe sim, mas não dói, nem física nem emocionalmente, porque afinal, eu consenti. Vai de cada um.)

 

• Ambiente no momento do nascimento: Gostaria de luzes suaves e pouco barulho, o nascimento Leboyer.

(Claro que era isso que eu queria, mas escolhi uma maternidade old school (eu tinha nascido lá há 29 anos atrás) e sabia que “o sistema” não me permitiria tais exigências. Eu lembro das luzes estarem fracas, mas aquela lâmpada super forte estava apontada para o local de saída do bebê, ou seja, para o rostinho da Mel assim que ela viesse ao mundo. Hoje eu questionaria isso, porque acho muito agressivo para um bebê com segundos de vida uma luz fortíssima daquelas, “na cara”. O profissional precisa da luz, claro, mas ela poderia ter sido direcionada para outro lado quando a Melanie ia sair. Sobre o barulho, disso não posso reclamar. Durante todo o procedimento, houve um silêncio muito natural, especialmente na hora em que a Melanie nasceu. Tive sorte de que os profissionais que estavam presentes respeitaram o nosso momento).

 

• Gostaria do clampeamento tardio do cordão umbilical, somente quando deixar de pulsar:

(Sim, sim e sim, escrevi. Não, não e não… na real. Meu obstetra alegou que por eu ser Rh negativo e meu bebê Rh positivo isso não seria possível. Hoje eu pesquisaria mais a respeito e colheria outras opiniões.)

 

• Gostaria que meu bebê fosse colocado imediatamente no meu colo e se houver necessidade de succionar as vias respiratórias, prefiro que seja feito enquanto ela estiver comigo.

(Sim, ela veio direto pro meu peito, toda cheia de sangue a bichinha, ganhou um super beijo na testa e ficamos assim por algum tempo. Não sei dizer com certeza se houve sucção das vias respiratórias, mas acredito que não. Ela saiu e veio pro meu colo muito rapidamente. Como no líquido da bolsa havia mecônio, ela foi levada para a sala ao lado, para ser examinada e verem se ela não tinha aspirado nada. Graças a Deus não. Ela teve apgar 9 e 10. Meu marido a acompanhou durante todo o processo.)

 

• Vínculo mãe x bebê: Gostaria que minha filha permanecesse conosco o tempo todo, já que a maternidade possui o alojamento conjunto. Nas saídas para pesagem, exames e banho, o pai a acompanhará sempre.

(Um dos motivos para que eu tivesse escolhido aquela maternidade, era o chamado alojamento conjunto. O bebê fica com a mãe 24h. Porém, como na maioria, assim que nasce o bebê passa pelos primeiros cuidados (bastante discutíveis, falaremos deles abaixo). Depois que nasceu, a Mel ficou uns minutos deitada no meu peito, foi para a sala de primeiros exames e cuidados e voltou uns 10 minutos depois, enrolada no charutinho, quando eu ainda estava no centro cirúrgico para a saída da placenta. A levaram novamente, alegando que ela ficaria coisa de uma horinha no berço aquecido, para que eu me recuperasse. Na minha inexperiência, eu achei que uma hora era ok. Meu marido acompanhou os exames e procedimentos e eu fiquei no quarto me recuperando. Mas acabaram sendo duas intermináveis horas de separação pra mim.  Hoje me pergunto que calor maior eles querem do que o de colo de mãe? Essa é outra coisa com a qual eu me preocuparia e questionaria mais hoje em dia).

 

• Amamentação imediata: Sim, gostaria de amamentar minha filha assim que ela nascer.

(Obviamente que isso não aconteceu. Ficamos duas horas afastadas, porém assim que a trouxeram para o quarto me incentivaram a dar de mamar. Tive uma ótima assistência nesse quesito pelo pessoal da maternidade (e em todos os outros, na verdade). Era uma preocupação constante de todas as enfermeiras que passavam para checar como a gente estava. As especialistas em amamentação passavam duas vezes ao dia e eu podia chamá-las a hora que precisasse.)

 

• Aguardar a expulsão espontânea da placenta.

(Saiu super rápido).

Caso uma cesárea seja necessária

 

• Permitir o início do trabalho de parto antes de efetuar a cesárea.

 

• Presença do meu marido durante a cirurgia.

 

• Gostaria de ser informada sobre cada procedimento associado à cesárea (testes, tricotomia – não será necessária – sonda urinária, etc).

 

• Uso de anestesia peridural sem sedação.

 

• Não gostaria de ter minhas mãos presas, caso não seja possível, gostaria que fossem soltas assim que meu bebê nascer, para poder segurá-la.

 

 

Cuidados com o bebê

 

• Não oferecer água glicosada, leite artificial, mamadeiras, chupetas ou qualquer tipo de bico.

(Essa é uma regra que eles fazem questão de cumprir, mesmo assim eu escrevi.)

O que eu gostaria de ter me informado melhor e dado uma maior atenção (e que ficará para um próximo plano de parto)

 

• Às luzes fortíssimas no rostinho do bebê assim que nasce. Se for possível, quero evitar. Como já disse ali em cima, acho agressivo com o recém nascido. Não acho que uma luz mais amena prejudicará a visão do(a) obstetra.

 

• Administração de Nitrato de Prata ou antibióticos oftálmicos: Se os exames da mãe para Streptococo, Clamídia e Gonorréia deram todos negativos, a administração desse colírio perde a utilidade e ainda pode causar conjuntivite química no recém nascido. Além disso, ele interfere na visão do bebê, que é tão importante nesse início de vínculo e contato com a mãe. Essa é uma prática comum nos hospitais e maternidades, porém totalmente discutível.

 

• Administração da Vitamina K, que previne a hemorragia no período neonatal: Hoje eu pediria que a Vitamina K fosse aplicada (é uma injeção) com o bebê nos meus braços, a fim de tentar minimizar a dor sentida por ele, ainda tão pequeno.

 

• Não gostaria que houvesse separação (como houve com a Mel, de duas horas aproximadamente). A não ser por real necessidade médica, claro.

 

 

Otimo este plano de nascimento da Michele né! 

Meu plano de parto

 

O meu plano de parto me ajudou muito a ter controle do final da minha gravidez, de me deixar ser guiada por mim mesma. 

 

E um documento simples, onde eu imaginei o dia do meu parto e como eu gostaria que ele fosse. 

 

Mas como disse , CUIDADO!! NAO CRIE EXPECTATIVAS. O plano é apenas um guia! 

 

Nunca vi um parto que tenha passado do jeito exato que a mamae imaginou. NUNCA!! 

 

O meu por exemplo foi de urgencia em casa , nen precisei entregar o meu plano de parto. 

 

Mas este plano abriu minha mente e a do papai. Nos sentimos no controle desta fase linda da nossa vida. 

 

AQUI esta o meu plano, ele esta em francês , mas você pode ter uma idéia de como é simples este documento. 

 

O legal do plano é que nos "obriga" a buscar informaçoes sobre detalhes que muitas vezes nao conhecemos. 

Como exemplo, no meu plano eu nao queria fazer o uso de anestesia, entao precisava colocar a forma como iria controlar a dor. E me dei conta de que nao sabia. 

 

Busquei informaçoes e vi varias tecnicas, acabei fazendo praticamente todas elas. Me informei bastante e me formei em tecnicas como a autohipnose, metodo de massagem, de acumputura, de posiçoes etc. 

 

O que nao iria buscar este tipo de informaçao , sem o meu plano de parto. 

 

Recomendo a todas vocês de fazer um!! A todas as mamaes, mesmo a que confiam de olhos fechados nos medicos e as que desejam ter uma cesaria. 

 

 

Para continuar seguindo os mes posts: AQUI

Bisous!! E bom parto! 

 

 

Please reload

  • Facebook - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle
  • Pinterest - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle

MATERNIDADE

Please reload